A sua segurança depende de você

Padrão

Me preocupo muito com segurança da informação. Você não?!

Muitos amigos costumam dizer:

Como você nunca pega vírus se não usa anti-virus?
Bom, a resposta é simples” – Eu preciso não ter o anti-vírus trabalhando comigo.”

Tá, mas e aí?

Eu tenho cuidados (e backup).

Alguma hora temos que aprender sobre segurança da informação.

Isso, comigo, ocorreu em meados de 1999, quanto estava à um fim-de-semana da entrega de um sistema. Fui carregar um jogo em um disquete e fui contaminado pelo famigerado stoned e seu comparsa michelangelo que detonaram a trilha 0 e toda a FAT. Nesta época não havia softwares de recuperação e nem tínhamos tanto acesso à informação vinda dos EUA. Paguei caro a um profissional para recuperar o código-fonte para entregar ao cliente.

Esse dia me fez entender o real significado da segurança da informação.

Eu gostava muito dos aplicativos clientes de email. Por anos usei o Kauffman, que provavelmente nenhum leitor deve lembrar como alternativa ao Outlook Express ou Thunderbird. Mas precisamos nos adaptar.

Trabalhei em um provedor de Internet em que o gerente de rede me dizia que o tráfego de emails era o maior de todos.

Precisamos nos adaptar. Existem webmails fantásticos para gestão de correspondência eletrônica. Confie. Alguns já pré-classificam os suspeitos. Não traga para seu dispositivo o conteúdo que desconhece.

Se você não vai instalar e nem tem pretenção de armazenar, para que correr riscos? Os webmails avançaram tanto que até permitem a visualização de conteúdo.

Eu sou um dos felizardos clientes da Google que ganharam as primeiras contas do Google Apps de 100 usuários vitalícia.

Disco Virtual. Conhece? Arquivos importantes devem ser armazenados na nuvem, se possível em até dois repositórios diferentes.
Olha, não tem mais jeito. Os smartphones vão migrar para um óculos ou dispositivos ainda mais leves e práticos. Seus dados precisarão estar online e seguros.

Outra resposta simples muito boa para a segurança da informação é:

  • Proteja-se de sua curiosidade.

Essa é a causa mais comum dos problemas atuais. Ou porque abre um arquivo ou porque acessa um site que te induz a injetar um código para processamento no seu dispositivo.

Recuperando o Windows 10 de um ghost mal sucedido

Padrão

Recuperando o Windows 10 depois de um ghost mal sucedido

Na última sexta-feira levei meu notebook para uma verificação no sistema de ventilação para diminuir o aquecimento com processamento excessivo, principalmente pelo processamento de vídeo. Aproveitei e solicitei ao técnico que migrasse meu HD para um SSD. Ledo engano! Quando fui pegar fiquei mais uma hora esperando que ele fizesse tentativas de recuperação. Ele chamou outros técnicos que condenaram o computador dizendo que só formatando. Técnico tem uma dificuldade em se comprometer com dados do cliente. Para eles, formatar é sempre a melhor solução.

Fui pra casa com note “morto”. Fazer tentativas no HD do cliente sem entender qual foi o problema que o afetou pode ser pior que o problema inicial. Depois de muita pesquisa para primeiro entender o problema, consegui resolver.

O Problema

Ao resolver clonar o HD, o técnico optou pelo famigerado Norton Ghost (pessoalmente seria minha última opção, mas…).   Para fazer isso, o ghost desmonta os volumes para fazer cópia segura. Como iria demorar muito, pedi para ele cancelar a clonagem. Ao invés de cancelar o processo, com ESC ou outra tentativa, o técnico optou por desligar o computador. Foi aí que o problema foi gerado. Se ele tivesse cancelado o ghost normalmente, pela opções do software, o ghost teria deixado o volume pronto para uso. Ao desligar, o sistema tornou-se inoperante.

Evidência

A principal evidência do problema é o erro que diz:

Falha em carregar o \windows\system32\winload.exe

Observe que não há indicação de qual unidade (C:, D:, E:) no caminho  do arquivo. Essa é a evidência! O Windows 10 usa uma partição inicial para dar o boot e depois se move para a partição onde está realmente o sistema operacional. O problema é que ele não conseguia atribuir letra para esta unidade e, consequentemente, o boot tornou-se impossível.

A maioria das fontes na internet atribuem 4 comandos para esta recuperação em modo administrador:

bootrec /fixboot
bootrec /scanos
bootrec /fixmbr
bootrec /rebuildbcd

Se mesmo depois disso não funcionar, aí você vai precisar de um pouco mais de perícia para executar o utilitário BCDBoot Utility.

  1. Digite diskpart e pressione Enter.
  2. Digite list volume e pressione Enter.
  3. Observe a tabela e localize a linha que estiver com indicação “Reservado para o Sistema” e anote o número do volume.
  4. Digite select Volume=N e pressione Enter, onde N é o número do volume anotado no passo anterior.
  5. Digite assign letter=w e pressione Enter.
  6. Digite exit e pressione Enter.
  7. Digite bcdboot c:\Windows /s w: /f uefi e pressione Enter.

Este processo fará uma nova verificação dos sistemas operacionais instalados e remontará a lista para que funcione. Onde está “c:\windows” você deverá substituir pela unidade que o windows 10 está. No fim, o que esse comando faz é encontrar seu windows e remontar na unidade W uma lista de sistemas operacionais disponíveis, permitindo que seu computador inicie.

Reinicie o computador e aguarde até que tudo volte como estava.

Para maiores detalhes, deixe seu comentário para que outras pessoas como você possam sanar dúvidas parecidas ou escreva diretamente ao Kevin Arrows no excelente artigo FIX: Steps to Fix Winload.EFI Error, que me ajudou muito no entendimento do problema e montagem da solução.

Ah, e se estiver procurando uma ótima opção para migrar seu HD para SSD, não deixe de visitar o Rene.E Laboratory e usar a ferramenta gratuita por 14 dias Renee Becca. A versão paga custa somente US$ 24,95. É simples, prático, intuitivo e barato para um recurso tão útil.

Grande abraço e até a próxima!

Importando MaxMind IP para SQL Server

geoip
Padrão

Não é de hoje que vemos uma expansão comercial e um marketing sem limites. Mas como obter isso? Como sabe onde seu cliente está? Quais os hábitos dele? Ele compra de casa ou quando está em trânsito? Essas e outras perguntas são respondidas quando você passa a armazenar a informação dele desde sua chegada. A essa informação chamamos de Business Intelligence, ou inteligência de negócios.

Continue lendo

Google Cloud Print

google-cloud
Padrão

À primeira vista é sempre complicado, como qualquer outra coisa de tecnologia, mas vou compilar aqui o entendimento e o passo-a-passo para quem quiser simplificar a utilização de impressoras na nuvem.

Definindo impressora:
– Impressora é aquele dispositivo que quando você mais precisa, não consegue imprimir. Seja quando nova ou já instalada, sempre tem alguma coisa que não fica muito boa, um driver que some, etc.

Continue lendo

VPN FortiClient SSL

fortigate
Padrão

fortinetO Fortigate é um apliance muito bom, mas o windows sempre que pode dá uma forcinha para atrapalhar. Ontem, estava trabalhando normalmente conectado na VPN quando, do nada, a conexão caiu e não reconectava mais. Coloquei em modo de depuração para poder identificar onde estaria o problema e, por fim, acabei indo ao Google para clarear as ideias sobre o problema. É claro que a história contada é sempre muito maior do que vou relatar. Você sempre desinstala e instala inúmeras vezes, altera parâmetros daqui e dali, tal qual os relatos que existem nos fóruns.

Continue lendo

Office 64 bits, o não recomendado

microsoft-office
Padrão

O artigo ia ser sobre a instalação do Skype For Business que não funcionava nem por um decreto presidencial (pufff!)

Meus problemas costumam ser bem incomuns em informática. Sabe aquele problema que só você e um seleto grupo de pessoas encontram? É bem assim. Cansei de falar na empresa que o Meu Skype for Business não funciona. Eles ficam olhando para mim no tipo: “- Como assim?” – é, no tipo, instalou e funcionou. – Sei bem como é, teria pensado o mesmo.

Continue lendo

Segurança para a família

Padrão

O mundo tecnológico evoluiu muito em pouquíssimo tempo. As pessoas, hoje, ficam conectadas na internet o tempo todo. No início, era comum as pessoas disserem: “- Vou entrar na internet e já volto.” – era a Era de conexões discadas. E o que fazer, agora, que meu filho tem celular, computador, videogame, tudo conectado em tempo real na internet? Como eu poderei controlar que tipo de conteúdo ele têm acesso? Como saber o que ele anda fazendo nos dispositivos que ele interage sozinho com a máquina?
Continue lendo