Considerações sobre experiência com o Windows 10

windows-10
Padrão

Recentemente saiu a notícia que a comunidade que utiliza torrents está banindo o Windows 10. Isso assusta o usuário final. E foi este mesmo usuário final que me pediu para ler.

Minhas considerações até agora com o Windows 10, que já possuo instalado e continuo usando o computador para trabalho como já fazia antes, com o Windows 7. É, eu migrei direto do 7 para o 10. Não tive o 8. A empresa que trabalho optou por esperar mais para usar o Windows 10. Lá, continuamos com o 8.1.

O sistema operacional conta com facilidades que foram perdidas no Windows 8 e melhorias na camada de aplicativos, trazendo para o Windows 10 funcionalidades que só tínhamos nas versões para servidores, mais robustas e com mais recursos do que vocês estão acostumados a usar. Dar o Windows 10 é uma jogada de marketing fantástica. Ela praticamente padronizará a utilização de um único sistema operacional.

  • Conta Microsoft: Para usar precisa ter internet configurada porque é necessário uma conta de rede Microsoft. Você pode optar, como eu, de usar meu e-mail pessoal. Tem uma opção quando você vai selecionar qual o domínio que você quer da conta. Essa conta interliga você com a rede Microsoft. Não tem opção ideal. A melhor é a que você achar melhor. A conta Microsoft te dá direito a acessar a loja online com aplicativos gratuitos e outros pagos. Você interliga os softwares Microsoft entre dispositivos, como XBox, Windows Phone e Windows 10 isso permite facilidade para, por exemplo, assistir filmes do computador no XBox ou ouvir música do computador na TV Smart, dentre outras “vantagens” do mundo conectado.
  • Windows Defender: O Windows Defender é o anti-virus da Microsoft. Em 3 semanas com o Windows 10 ainda não consegui uma solução eficaz de desabilitá-lo permanentemente, mas ainda que eu consiga, não deve ser uma tarefa para usuários finais então, neste caso, vocês terão que conviver com ele. Ele coloca itens em quarentena. Vocês precisam aprender a utilizar ele para recuperar arquivos que possam ter sido excluídos por suspeita de vírus. Para mim ele é chato porque eu tenho programas “especiais”, desenvolvidos por mim e outros não, que fazem leitura profunda em arquivos, “lendo aquilo que ninguém lê” (rs!). Ah, o Windows Defender já identifica os crackers de programas por encontrar tais códigos. Para crackear alguma a coisa, não esqueça de desabilitar ele antes de copiar o arquivo. É, é permitido bloquear o Windows Defender, mas por algumas horas, depois ele volta sozinho e quando menos espera surge uma mensagem que ele comeu alguma coisa. Mas é um anti-vírus. Tem boa performance por ser um anti-virus. Se usa outra solução, espere mais porque ele parece cumprir bem isso.
  • Compartilhar informações que eles dizem é porque, por ter uma conta conectada, algumas informações podem estar sincronizadas com a conta do servidor da Microsoft. Você precisa aprender a configurar sua privacidade em qualquer tipo de rede. É premissa de utilização da internet. Neste momento você deve pensar, então não vou migrar para o Windows 10. O mundo já se conectou. Você não tem como mudar isso. O disco virtual que é compartilhado chama-se One Drive. Ele é uma outra unidade de disco. O que você colocar ali, você acessa de qualquer lugar que você acessar internet, de qualquer tipo de dispositivo. E a Microsoft te dá não sei quantos gigas para você ter esse espaço na internet. As configurações de compartilhamento de cada arquivo existem e são opcionais. Você pode, se quiser, compartilhar um arquivo ou pasta dessa com alguém que você quiser. É legal porque cria uma rede “local” na internet facilitando a comunicação e troca de informações.
  • As empresas de software também pagam conta e precisam ter retorno de seu trabalho. Software já foi caro. Eu uso pirata para fins de teste e aprendizado, mas eu faço muita pesquisa de software e utilizo centenas de softwares por mês. Imagina quanto custaria para estudar cada um. Ainda sim não é justificada a pirataria. Software é que nem carro. É um produto gerado a partir de um trabalho que possui custo e margem de lucro. Só existem três formas justas de uso de software:
    • Comprar seu programa;
    • Usar algum grátis, e existem muitas opções para todos os tipos de programas, e até online como o Google Docs;
    • Fazer o seu.

A partir desta última, o que todo mundo precisa entender é que o software é um bem como outro. Você escolhe por usar ele. Ele ainda te dá garantia por anos na versão velha, com atualizações de segurança. Se quiser usar o último modelo de software ferrari, tem um preço.

  • Atualizações: Eu desliguei as atualizações. Como é um sistema operacional novo, e já teve seu download 50 milhões de vezes, muita coisa já está sendo atualizada. É igual software de loja que nós vendemos. Nós fazemos a análise dos problemas, dos sistemas, lemos e consertamos códigos, mas quando instala é que você começa a ver detalhes porque os computadores são diferentes. Está amaciando. Atualiza toda hora sem te avisar. Reiniciou, atualizou. Então eu acho prudente desativar e ativar manualmente nos dias que você faz manutenção nos seus arquivos. Se for algo absurdo de importante, você certamente lerá isso no jornal.
  • Na reportagem ele fala de hardware pirata. Pois bem. Meu irmão me deu um dispositivo de rede que era usado no home theater para conectá-lo a rede local permitindo assistir conteúdos online. Ele nem sabia que isso era assim. Em posse do dispositivo, coloquei-o no windows e não funcionou, nem no 7 e depois nem no 10. A Sony é explícita no seu site dizendo que jamais este dispositivo pode ser usado no computador e que contra indica quem o faça. Não existem drivers para este dispositivo. Apesar disto, posso afirmar, ele é muito bom. Tem um alcance ótimo. É, eu consegui usar um driver específico de outro fabricante e ele funciona. Fiz no Windows 7 e fiz no Windows 10. O mito do repórter caiu.
  • Todo mundo diz um monte de abobrinha mas ninguém pode provar nada do que se diz. Se você já tem e-mail, participa de fórum, faz perguntas na internet ou usa um navegador, fique certo, já existe informação sua na rede. Minha profissão me fez aprender como pegar informações de vocês. Você entra no site do netshoes e fica procurando um tênis. Fica lá só olhando. Aí você vai descontrair e chega no site do kibeloco. No banner que aperece no topo mostra exatamente os tênis que você ficou olhando no netshows. Aí você vai e compra. Você nem percebeu isso. Eu também faço isso no portal que estou trabalhando, a Croqui Design: www.croquidesign.com.br. Vendemos publicações felizes para os clientes e eles vêem nossas propagandas, mas se clicarem, melhor pra o portal. Você nem percebeu, mas alguma coisa do site que você foi ou ficou no seu navegador ou foi identificado por informações que escondemos nas páginas que acionam mecanismos de registros em sites de coleta de dados. Eu nunca sai da cadeira e sei o gênero, faixa etária que mais compra, tipos de sites que frequentam, quantos voltam a visitar o site, a origem do acesso ao portal, enfim, nós sabemos de tudo. Se você usa uma conta Microsoft, Google ou facebook, tudo é integrado e você vai permitindo toda vez que quer usar o recurso. Nós só indexamos tudo o que você deixou e usamos estas informações para ajudar a você a resolver seu desejo de compra, de pesquisa, de assistir a um vídeo que te interesse porque está dentro do perfil de coisas que você busca. Mas tudo foi consentido. Minha recomendação é: Leia o que você está assinando porque tem protocolo que você assinou com data, hora, endereço IP do seu computador, que fica registrado em algum lugar e pode te achar. O botão OK está lá por algum motivo. É a Rede Mundial. Relaxa com cuidado e leia as opções de privacidade de cada aplicativo. É importante. O resto, é boato e ninguém pode te confirmar.
  • Se quiser se proteger mais, compra um roteador bom que já tenha funções de proteção. Protege todo mundo em um lugar só. Eu deixo minha rede aberta na internet. Nunca tive caso de invasão. Eu monitoro. Eu, hoje, sou responsável por servidores de conceituadas lojas. Todos os servidores estão protegidos e monitorados. Eles não têm anti-virus porque precisam trabalhar muito. Eles têm proteção de rede. É como se eu tivesse um roteador dentro dele selecionando o que ele pode ver. Roteador protege rede. Compre um maneiro. Ah, se quiser, e eu recomendo, não use o roteador wireless da empresa que leva seu sinal. coloque um do lado, seu, e compartilhe a internet através dele. Você estará em uma sub-rede e é mais seguro. É só ligar o cabo no seu roteador pela WAN e no da empresa no LAN. E desliga o wireless do roteador da empresa porque ele tira performance do roteamento, que normalmente é o barato e não o bom.
Andre Mesquita
IT Consultant – Developer
Self Motivation, high level of curiosity and tenacious resolve have been the drivers of my career.

Specialties: Solutions, Development, Codes, Server, Monitoring, Routing.and Services.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *